abril 12, 2007

Seu nome é Outono




"Seu nome é Outono


Sua cor é sangue


Uma artéria subindo a colina


Uma veia ao longo da estrada



Grandes glóbulos nas Aléias


E oh, que banho de tinta


Quando o vento agita a bacia


E derrama a chuva escarlate



Salpica os toucados lá embaixo


Junta as lagoas rútilas


E num turbilhão de rosas


Vai-se embora em rubras rodas"



(Emily Dickinson)

Um comentário:

Nélia disse...

e que eu esteja envolto no turbilhão do vento nascido da conversa das pétalas, enquanto abandonam o caule, sedentas da viagem alada, planando até ao encontro com a terra, onde a sua morte será o sacrifício para o nascimento do húmus.