abril 02, 2006

O Grito


O grito se faz necessário
quando a dor já transbordou,
fez-se lágrima,
mas com o coração em farrapo,
vê-se que não amainou..
Já passou por isso?
Nem queira passar!
É ver-se aturdido
onde o único som ouvido,
está a nos arrebentar.
É muito doído,
mas vem nos ensinar
que tudo por nós sofrido,
não ecoará em outro lugar.
Pelo contrário,
faz barulho, irrita
e não se quer escutar.
Se o que
pelo Meu Pai
foi dito
não se pára para pensar,
avalie um grito?
Meu povo
que é antigo,
acostumado a caminhar
entre mortos e feridos,
teve motivo demais para gritar
e por acaso foi ouvido?
Não...
existia um esquema montado,
muito bem engendrado
deixando uma nuvem escura no ar...
Não foram cinqüenta,
foram milhões
e o mundo não ouviu ecoar.
Portanto, meu amigo,
vê se teu coração agüenta,
porque infelizmente
essa dor é só tua
e poucos contigo
irão chorar...

2 comentários:

raveL. disse...

If you cannot be a poet, be the poem, you are my poem lele!
Lov u!
rave.

Nessita! disse...

Poesia lindíssima... Tô encantada! Minha hiper friend canta a vida em poesia!

Saudades!